Prisma Contabilidade


Entenda mais sobre empréstimos para MEI

  • 24/06/2021

     
     


     

    Um dos incentivos disponíveis, após a formalização do pequeno negócio pelo registro do Microempreendedor Individual (MEI) , é o acesso facilitado a linhas de créditos bancárias com taxas reduzidas para movimentar, auxiliar e expandir a empresa. 

    O MEI tem condições diferentes dos profissionais autônomos, liberais ou empresas de porte maior, e o empréstimo pode ser solicitado para diferentes finalidades, desde que sempre atrelados à atividade econômica exercida.

    O crédito costuma ser liberado sem a oferta de garantias pelo empresário, sem bens ou consignação atrelados e sem dificuldade para expansão do negócio, podendo ser usado para aumentar a produtividade, fazer melhorias e pagamentos de fornecedores.

    Tipos de empréstimos para MEI

    Empréstimo para capital de giro

    Usados para fazer a empresa girar e ganhar um impulso, esse empréstimo requer que não haja restrições no Serasa tanto para o CPF quanto para o CNPJ que fará o pedido.

    As linhas de crédito mais comuns são:

    Parceria da Caixa e do FAMPE/Sebrae,  até R$ 12,5 mil de crédito, com prazo de pagamento de 24 meses, nove meses de carência, a uma taxa de juros de 1,59% ao mês. 

    Banco do Povo Paulista, até R$ 21 mil, taxa de juros de 0,35% ao mês e prazo de pagamento de 36 meses sendo 3 meses de carência. 

    Microcrédito

    Esta é uma linha desenvolvida especialmente para para MEI, que possui menos burocracia, valores de até R$20 mil e podem ser adquiridos com agentes de créditos. O BNDES fez uma lista de agentes operadores oficiais deste recurso, clique aqui para conferir.

    Cheque especial pessoa jurídica

    Costuma já estar pré-aprovado para uso quando necessário e funciona similar ao limite da conta-corrente de pessoa física.

    Para usufruir é necessário apresentar o IR ou DECORE e pode incidir alta taxa de juros, sendo indicado deixar este cenário como última possibilidade.

    Como solicitar o empréstimo

    Para a solicitação junto às instituições financeiras, é necessário que o MEI esteja regularizado, reunindo todos os documentos pessoais e da empresa para entrar com o pedido.

    Vale apresentar também, com a ajuda de um profissional contábil, se for o caso, a rentabilidade da empresa e para que aquela linha será destinada. 

    Seja qual for o porte da empresa, vale frisar a importância de ter toda a contabilidade em ordem antes de pedir um empréstimo, para que não haja endividamento desnecessário, resultante no fechamento da empresa, e não o impulsionamento da mesma.

    Fonte: Portal www.contabeis.com.br


Subir ao topo